Internacional

Justiça

Veja vídeo: Enfermeira britânica que matou 7 bebês é condenada a prisão perpétua

Os crimes tornam Lucy Letby a pior assassina em série de bebês no Reino Unido.


Lucy Letby, a enfermeira britânica condenada pelo assassínio de sete recém-nascidos, foi condenada a prisão perpétua sem direito a liberdade condicional.

Uma sentença desta gravidade, sem possibilidade de libertação, é muito rara no direito inglês. A sentença foi proferida no Tribunal da Coroa de Manchester, no norte de Inglaterra, na ausência da jovem de 33 anos, que se recusou a assistir ao julgamento.

Continua depois da Publicidade

Lucy Letby ainda na função de enfermeira – Foto: reprodução

O juiz James Goss justificou a sentença tendo em conta a “gravidade excecional” dos crimes.

“Durante este julgamento, negou friamente qualquer responsabilidade pelos seus atos ilícitos e procurou atribuir alguma culpa a outros. Não tem remorsos. Não há fatores atenuantes. Na sua totalidade, os crimes de homicídio e de tentativa de homicídio foram de uma gravidade excepcional e a punição justa, de acordo com a lei, exige pena perpétua”, afirmou o juiz.

Letby utilizava diversos métodos para causar a morte aos recém-nascidos, como a injeção de ar e de insulina, a provocação de overdose por excesso de leite ou maus tratos físicos.

Os primeiros cinco homicídios ocorreram entre junho e outubro de 2015 e os dois últimos em junho de 2016.

Entretanto, os diretores do hospitalCountess of Chester** foram suspensos e acusados de ignorarem os avisos dos colegas da enfermeira**.

A mulher, descrita pela acusação como “fria, calculista, cruel e tenaz”, se negou a comparecer à audiência e alegou inocência durante o longo julgamento, que começou em outubro de 2022, algo que foi criticado pelo primeiro-ministro, Rishi Sunak. “É covarde que aqueles que cometem crimes tão horrendos não se apresentem diante de suas vítimas”, afirmou.

Após 10 meses de julgamento, ainda há dúvidas sobre as motivações. Os investigadores encontraram bilhetes em sua casa. Em um deles, ela escreveu: “Não mereço viver. Eu os matei de propósito porque não era boa o suficiente para cuidar deles. Sou uma pessoa horrível”. Porém, em outros textos ela clamava inocência.

“A sentença não evitará a dor extrema, a revolta e o sofrimento que todos sentimos”, reagiram as famílias das vítimas em um comunicado. “Talvez nunca saibamos por que isto aconteceu”, acrescentaram. Ainda resta saber por que Letby não foi detida antes.

A imprensa britânica afirma que um grupo de médicos teria alertado a direção do hospital desde 2015. Porém, a direção do hospital, preocupada com a reputação do centro médico, teria ignorado o alerta ou optado por não agir, segundo a imprensa.

O governo anunciou a abertura de uma investigação independente para esclarecer “as circunstâncias por trás dos horríveis assassinatos e tentativas de assassinatos”. A polícia continua examinando milhares de casos com o objetivo de identificar outras possíveis vítimas.

Com agências – Imagens EuroNews