Guerra

Oriente Médio

Tudo ou nada: Israel diz que continuará a guerra em Gaza ‘com ou sem apoio internacional’

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen, disse na quarta-feira que a guerra de Israel contra o grupo militante palestino Hamas na Faixa de Gaza continuaria “com ou sem apoio internacional”. Seu anúncio ocorreu depois que o presidente dos EUA, Joe Biden, criticou na terça-feira a campanha de bombardeios de Israel em resposta aos ataques de 7 de outubro como “indiscriminada” e disse que estava custando apoio ao país.


Resumo:

  • Israel ficou sob pressão na quarta-feira dos seus aliados por causa da guerra em Gaza, com o principal apoiante dos Estados Unidos a criticar o seu bombardeamento em resposta aos ataques de 7 de Outubro como “indiscriminado”.
  • A Assembleia Geral da ONU aprovou por esmagadora maioria uma resolução não vinculativa na terça-feira exigindo um cessar-fogo em Gaza, aumentando a pressão sobre Israel e Washington.
  • O ministro das Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen, disse na quarta-feira que a guerra na Faixa de Gaza continuaria “com ou sem apoio internacional”.
  • Biden se reunirá com famílias de americanos feitos reféns pelo Hamas na quarta-feira, na Casa Branca .
  • O Hamas atacou comunidades do sul de Israel em 7 de outubro, matando cerca de 1.200 pessoas e fazendo cerca de 240  reféns, segundo o governo israelense. Desde então,  18.608 pessoas foram mortas no  subsequente ataque de Israel à  Faixa de Gaza e pelo menos 50.594 pessoas ficaram feridas, de acordo com o Ministério da Saúde no enclave controlado pelo Hamas. Pelo menos 7.600 pessoas estão desaparecidas, segundo o gabinete de comunicação social do Hamas. (informações não confirmadas pelos canais de comunicação de forma independente).

Ataque israelense na Cisjordânia mata 7, diz ministério palestino

Ataque das forças israelenses na Cisjordânia se intensificam – Foto: Majdi Mohammed/AP