Internacional

Prêmio Nobel

Prêmio Nobel de Química prestigia três cientistas por estudos sobre nanopartículas

O francês Moungi Bawendi, o americano Louis Brus e o russo Alexei Ekimov conquistaram nesta quarta-feira (4) o Prêmio Nobel de Química de 2023 por suas pesquisas sobre as nanopartículas. O trio de cientistas trabalha nos Estados Unidos.


Os três nomes vazaram para a imprensa sueca alguns minutos antes do anúncio. Eles conquistaram a recompensa pela “descoberta e síntese dos pontos quânticos, nanopartículas tão pequenas que seu tamanho determina suas propriedades”, segundo o júri.

A Academia Real Sueca de Ciências, que seleciona os vencedores, “lamentou profundamente” o vazamento dos nomes dos laureados. “É claro que é uma grande pena. Lamentamos profundamente o que aconteceu”, disse o secretário-geral Hans Ellegren em uma coletiva de imprensa, referindo-se a um comunicado enviado por engano.

Continua depois da Publicidade

Os pontos quânticos, também conhecidos como “quantum dots”, são nanocristais de semicondutores, geralmente com diâmetro entre 2 e 10 nanômetros. Esses componentes muito pequenos da nanotecnologia agora dispersam a luz de televisores e LEDs e também podem orientar cirurgiões na remoção de tecidos tumorais, de acordo com o comunicado à imprensa da academia.

Ainda sonolento no momento em que recebeu a chamada telefônica da academia, o francês Moungi Bawendi, de 62 anos, declarou ter ficado “muito surpreso, em estado de choque e honrado” com o reconhecimento de seu trabalho. Ele nasceu em Paris, de pais tunisianos e é professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

O secretário-geral da Academia Real de Ciências, Hans Ellegren, ao centro, anuncia os vencedores do Prêmio Nobel de Química de 2023, em Estocolmo  – Foto: Claudio Bresciani

O americano Louis Brus, de 80 anos, é professor da Columbia, em Nova York. O terceiro premiado, Alexei Ekimov, de 78 anos, nascido na Rússia, foi cientista-chefe da Nanocrystals Technology, sediada nos EUA.

Os três cientistas dividirão o prêmio de 11 milhões de coroas suecas (1 milhão de dólares, 5 milhões de reais), que será entregue pelo rei Carl XVI Gustaf da Suécia em Estocolmo em 10 de dezembro, data da morte, em 1896, do cientista Alfred Nobel, que expressou o desejo de criação do prêmio em seu testamento.

O Nobel de Química foi o terceiro anunciado na temporada, depois dos prêmios de Medicina e Física. Na quinta-feira (5), será anunciado o vencedor de Literatura e, na sexta-feira (6), o Nobel da Paz. Na próxima segunda-feira (9), o prêmio de Economia encerra a temporada.

Com informações