Brasil

Amazonas

Acidente de avião em Barcelos no Amazonas: o que se sabe e o que falta saber

Havia 14 pessoas a bordo. Todas morreram. A queda do avião em Barcelos foi o acidente aéreo com mais vítimas no Brasil desde 2011


Na tarde de sábado (16/9), 14 pessoas morreram na região de Barcelos, a 400 km de Manaus, em decorrência de uma queda de avião que levava turistas. Segundo a Defesa Civil do Amazonas, entre os mortos estavam 12 passageiros, que estariam no local para a prática de pesca esportiva, o piloto e o copiloto da aeronave.

Esse acidente aéreo é considerado o mais mortal no Brasil desde 2011. Àquele ano, 16 pessoas morreram após uma queda de um avião Let da Noar Linhas Aéreas no Recife.

Continua depois da Publicidade

O que se sabe até agora

Todas as 14 pessoas a bordo morreram. Dentre elas, 12 eram passageiros, um era piloto e o outro copiloto. A aeronave saiu de Manaus por volta do meio-dia e decolou em direção a Barcelos, cidade conhecida pelo ecoturismo.

O voo entre a capital e Barcelos demoraria cerca de duas horas. Os então passageiros voaram no avião do modelo EMB-110 “Bandeirante”, da Embraer. Ele era um bimotor turboélice e tinha a capacidade de decolar com 18 pessoas a bordo.

O transporte era operado pela empresa Manaus Aerotáxi, o avião estava regularizado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e tinha autorização para ser utilizada em serviços de táxi aéreo.

ntre os passageiros, estava o médico de Brasília Roland Montenegro Costa, que completaria 71 anos em outubro. Também estavam no avião cinco empresários de Goiás e quatro de Uberlândia.

Resgate dos corpos

Após o acidente, os corpos foram levados para um ginásio da cidade e, no domingo (17/9) chegaram a Manaus. Na capital, os corpos foram levados ao Instituto Médico Lega (IML) do Amazonas para aguardar identificação dos familiares.

Os corpos dos cinco goianos serão transladados por uma equipe do Serviço Aéreo do Estado de Goiás (Saeg). A equipe já chegou em Manaus e aguarda a liberação do IML.

O que causou o acidente

Ainda não se sabe a causa responsável pelo acidente. O avião caiu por volta das 15h em Barcelos, quando tentava pousar no aeroporto de cidade. No momento da tragédia, chovia muito.

Causa do acidente está em investigação, que serão conduzidas pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VII) e pela Polícia Civil do Amazonas.

Governo do AM libera corpos das vítimas do acidente aéreo

Foto: reprodução

Na madrugada desta segunda-feira, 19 de setembro, o Governo do Amazonas liberou os corpos das 14 vítimas do trágico acidente aéreo ocorrido em Barcelos, a 399 quilômetros de Manaus, no último sábado, 16 de setembro. Uma força-tarefa foi montada para agilizar a identificação das vítimas e a liberação de seus corpos para os familiares, envolvendo profissionais do Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Identificação (II). O acidente ocorreu quando uma aeronave tentava pousar na cidade durante uma forte chuva.

A força-tarefa, organizada pelo Departamento de Polícia Técnico-Científica do Estado do Amazonas (DPTC), seguiu protocolos específicos de Identificação de Vítimas de Desastres. Durante a noite de sábado e todo o domingo, prontuários civis das vítimas foram coletados após solicitação do Instituto de Identificação a diversos estados, incluindo Goiás, Minas Gerais, Maranhão, São Paulo, Roraima e Paraná.

No domingo, os corpos das vítimas foram transportados para Manaus em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), em uma operação conjunta com os órgãos de Segurança Pública do Governo do Amazonas.

A diretora do IML, Sanmya Leite, explicou que, uma vez que as vítimas portavam seus documentos pessoais no momento do acidente, os corpos vieram documentados. As identificações foram feitas por meio da necropapiloscopia, um método técnico-científico de identificação pelas impressões digitais.

O Serviço Aéreo de Goiás está a caminho do Amazonas para fazer o traslado dos goianos vitimados no acidente.