Política

Amazonas

PL Manaus comunica expulsão do Coronel Menezes ao presidente do partido

Motivo foi briga com o deputado federal Capitão Alberto Neto.


O primeiro vice-presidente da Comissão Executiva Municipal Do Partido Liberal (PL) de Manaus (AM), João Augusto Cordeiro Ramos, assinou um ofício ao presidente nacional da agremiação, Valdemar Costa Neto, comunicando a exclusão do filiado Alfredo Alexandre de Menezes Junior, o ‘Coronel Menezes’, expoente bolsonarista do Amazonas e candidato derrotado ao Senado, na eleição de 2022.

No ofício, João Ramos, escreve: “Vimos à ilustre presença de Vossa Senhoria, para que tome conhecimento acerca da decisão da Comissão Executiva Municipal Do Partido Liberal No Município De Manaus/AM, que atendeu, em todos os termos o Parecer da Conselho de Ética e Disciplina Da Comissão Executiva Municipal Do Partido Liberal No Município De Manaus/AM, no sentido, de entre outros, reconhecendo-se a infringência dos arts. 45, II, e art. 48, VI, do seu Estatuto, bem como, art. 4o, III, IV; art. 6o, III, IX, e art. 10, VI, do Código de Ética, aplicando-lhe a penalidade de expulsão do partido, do filiado Alfredo Alexandre de Menezes Júnior – título eleitoral 241424690116”.

Continua depois da Publicidade

A decisão foi tomada considerando declarações de Menezes contra o colega de partido e também estrela bolsonarista no Amazonas, o deputado federal Capitão Alberto Neto, que travam uma batalha interna pelo poder. A polêmica mais recente envolvendo os dois está relacionada ao voto contrário de Alberto à reforma tributária. O deputado foi o único do Amazonas na Câmara Federal a votar contra a proposta, que resguarda os interesses do Estado em relação ao principal modelo econômico da região: a Zona Franca de Manaus (ZFM).

Pelo comportamento, Alberto foi chamado de Judas por Menezes, em uma live nas redes sociais na terça-feira (11/08). Segundo o Coronel, Alberto Neto age de um jeito nos bastidores, mas nas redes sociais é outro.

Em 2020, os dois estavam em lados opostos na eleição, mas em 2022, fizeram um acordo de cavalheiros. Acordo esse que, segundo Menezes, Alberto não cumpriu, referindo-se ao apoio político para a eleição de prefeito em 2024 e as “pernadas” dentro do PL no Amazonas.

“Político tem que ter palavra, mas não cumpriu o acordo feito lá em 2022. O que diferencia os homens dos moleques é quando faz um acordo e mantêm a palavra, ‘mas quando não as cumprem’ [sic]. Têm pessoas que têm duas caras. Nos bastidores são amiguinhos dessa política, nas mídias sociais não cumprem acordos e mentem. Acho que a nossa democracia está com o rombo no casco muito grande”, disse Menezes.

Em entrevista à imprensa, o Alberto disse que Menezes daria “um excelente quadro do PL para ser vereador de Manaus, em 2024”. A declaração do deputado estadual ocorreu após Menezes lhe cobrar um posicionamento sobre temas locais como, por exemplo, o aumento no valor do IPTU e do transporte público em Manaus.

Veja o Ofício