Guerra

Oriente Médio

O mundo ‘não deveria reconhecer’ o Talibã, diz filho do comandante afegão assassinado Massoud

O filho do herói da resistência afegão assassinado, Ahmad Shah Massoud, alertou que a comunidade internacional “não deveria reconhecer” o Talibã, dois anos após o seu regresso ao poder. Ahmad Massoud disse que sem “legitimidade interna, a comunidade internacional deveria parar de reconhecer qualquer grupo. Caso contrário, cada grupo pode chegar [ao poder] através do cano de uma arma e tentar obter legitimidade”.


Massoud, que lidera a Frente de Resistência Nacional do Afeganistão  e foi forçado a fugir de Cabul em 2021, sublinhou que, apesar das afirmações em contrário, os talibãs não mudaram e continuam a ser um grupo extremista.

Qualquer pessoa que diga que os talibãs mudaram “deveria ter vergonha, porque os talibãs provaram que não mudaram nada”, disse ele.

Continua depois da Publicidade

Ahmad Massoud, exorta seus compatriotas a não desanimarem com as vitórias do Talibã e os convida a se unirem a seus guerreiros na construção de um novo Afeganistão: “Estamos sozinhos na resistência. Mas nunca cederemos”.

Massoud afirmou que o seu grupo estava a combater os talibãs em 12 das 34 províncias do país, utilizando tácticas de guerrilha, uma vez que não dispõe de recursos para recuperar o controlo dos territórios. Acrescentou que os talibãs tentaram matá-lo várias vezes, razão pela qual não quis divulgar a sua localização atual.

Acordo acordado entre EUA e Talibã ‘foi catastrófico’

Ele atacou a administração Trump por chegar a um acordo com o Taleban sem envolver o governo afegão liderado pelo então presidente Ashraf Ghani .

“O acordo foi um acordo muito ruim. Você não consegue encontrar uma palavra no acordo entre a América e o Talibã [sobre] as mulheres: não houve menção aos direitos das mulheres ,  aos direitos humanos , não houve menção à democracia nem nada. Então esse acordo foi catastrófico.”

Além disso, Massoud criticou a administração Biden pela sua retirada unilateral do Afeganistão em agosto de 2021. “Com estas duas decisões massivas e terríveis, destruíram completamente a oportunidade para a paz, destruíram o equilíbrio das negociações”, disse ele.

Massoud também afirmou que, contrariamente às promessas dos Taliban feitas aos EUA de que não abrigariam quaisquer grupos terroristas, estão a fazer exactamente isso.

Concluindo, alertou que a comunidade internacional “não deveria reconhecer” os talibãs, afirmando que o grupo não tinha “legitimidade interna”.

O Leão de Panshir, Ahmad Shah Massoud – Foto: reprodução

Nos anos 80, Ahmad Shah Massoud, poeta e guerrilheiro, foi um dos líderes da luta contra a ocupação soviética de seu país. Nos anos 90, o Comandante Massoud, com apoio russo, iraniano e indiano, lutou contra o Talibã, até seu assassinato em 2001. Hoje, seu filho, Ahmad Massoud, é a principal liderança da resistência de guerrilha contra o Talibã. Resta ver qual será sua visão para o futuro de seu país.