Guerra

Oriente Médio

Hamas adia entrega do segundo grupo de reféns até que Israel ‘cumpra o acordo’

O grupo terrorista Hamas disse neste sábado (25-11) que Israel teria quebrado o acordo da entrega de um segundo grupo de reféns que deveria ser libertado sob a trégua. Israel também não cumpriu com a entrada de ajuda humanitária ao norte de Gaza. A notícia surge depois do Egito ter recebido sinais positivos das partes sobre uma possível extensão da trégua em Gaza por um ou dois dias.


O porta-voz do Hamas, Osama Hamdan, disse numa conferência de imprensa no sábado que Israel não cumpriu a sua parte no acordo de trégua e que informou os mediadores sobre as violações de Israel. Ele também disse que o grupo afirmou o seu compromisso com a trégua patrocinada pelo Egito e pelo Catar, que começou na sexta-feira. Hamdan disse que um total de 340 caminhões de ajuda entraram em Gaza desde sexta-feira e que 65 desses caminhões chegaram ao norte de Gaza – “o que foi menos da metade do que Israel concordou”.  Sairiam das mãos dos terroristas, no segundo dia de trégua com Israel, 14 mulheres e crianças.

Ainda não há informações dos supostos 42 palestinos em prisões israelenses que também seriam soltos. Mas o Serviço Prisional do país confirmou estar preparando a saída do grupo.

Continua depois da Publicidade

Funcionários da Cruz Vermelha esperam do lado de fora da prisão de Ofer, em Israel – Foto: Moustafa Alkharouf 

Apesar da acusação do Hamas em relação a Israel, o grupo disse estar pronto para receber novas propostas.

Segundo Taher al-Nunu, conselheiro do chefe do gabinete político do Hamas, afirmou à TV Al Jazeera, os israelenses não cumpriram tudo o que foi combinado em relação à libertação dos presos e à entrada de caminhões com ajuda humanitária no norte da Faixa de Gaza.

Além disso, o representante do Hamas acusou militares israelenses de atirarem em palestinos que voltavam para casa em Gaza, o que teria levado duas pessoas à morte.

“Estamos abertos a propostas de mediadores e estamos prontos para examinar propostas de novos negócios”, prometeu Al-Nunu. Mas deixou um aviso: “Se Israel não se comprometer a fornecer ajuda ao norte de Gaza, isso ameaça todo o acordo”.

Uma delegação do Catar chegou a Israel para garantir a continuação do acordo de reféns, durante a trégua. “Parte da equipe da missão do Catar chegou para coordenar as partes e garantir que o acordo continue a progredir sem problemas e para discutir mais detalhes sobre o acordo em curso”, informou um dos diplomatas envolvidos.

Uma boa notícia veio do Egito e tem relação à extensão do período de trégua. Chefe do Serviço de Informação do Estado egípcio, Diaa Rashwan afirmou que há conversas sobre o assunto, o que “significa a libertação de mais detidos em Gaza e prisioneiros palestinos em prisões israelenses”.

Milhares de palestinos aproveitam a trégua humanitária de 4 dias e voltam para verificar suas casas – Foto: Mostafa Hassona

A guerra começou no dia 7 de outubro, quando o Hamas promoveu uma ação terrorista de invasão a Israel. Mais de 1.200 pessoas, entre civis e militares, acabaram mortas. A partir daí, o governo israelense promoveu uma ofensiva aérea e depois terrestre na Faixa de Gaza.

Entrada de ajuda humanitária

Apesar das denúncias do Hamas, a Coordenação de Atividades Governamentais nos Territórios afirmou que quatro caminhões de combustível e quatro de gás de cozinha entraram hoje na Faixa de Gaza vindos do Egito. A iniciativa faz parte do acordo de cessar-fogo entre Israel e o Hamas.

“O combustível e o gás de cozinha são destinados à operação de infraestruturas humanitárias essenciais em Gaza”, publicou o órgão do Ministério da Defesa de Israel no Twitter.

Mesa posta para reféns detidos na Faixa de Gaza, demonstração de solidariedade / Tel Aviv, Israel, 25 de novembro de 2023 – Foto: Leo Correa, AP

Resumo

  • O braço armado do Hamas disse neste sábado (25) que estava adiando a libertação de um segundo grupo de reféns até que Israel “cumpra os termos do acordo (de trégua)”, que, segundo ele, inclui a entrada de ajuda humanitária no norte de Gaza. 
  • Uma fonte do Hamas disse no sábado que um grupo de reféns “começou” a ser entregue à Cruz Vermelha em troca de um grupo maior de prisioneiros palestinos detidos por Israel.
  • O Egito disse neste sábado que recebeu sinais positivos de todas as partes sobre uma possível extensão da trégua em Gaza por um ou dois dias.
  • Também hoje (25-11) um navio porta-contêineres de propriedade de um bilionário israelense foi atacado por um suposto drone iraniano no Oceano Índico, disse uma autoridade de defesa dos EUA. O drone explodiu, causando danos ao navio, mas não ferindo nenhum membro da tripulação.
  • O Crescente Vermelho Palestino disse neste sábado que recebeu 196 caminhões carregados de ajuda através da passagem de Rafah, em Gaza, com o Egito, nesta sexta-feira (24).