Cultura

Educação

Autor da “Turma da Mônica” celebra alcance de milhões de crianças com alfabetização

O escritor e desenhista Mauricio de Sousa conversou com o Podcast ONU News sobre colaborações com causas defendidas pelas Nações Unidas; ele destacou o papel da personagem Mônica no estímulo à liderança feminina e compartilhou dicas sobre criatividade; obra é consumida em cerca de 120 países.


Para crianças de várias gerações e de muitas partes do mundo, as revistas em quadrinho da “turma da Mônica” são uma referência de diversão e entretenimento.

Por isso mesmo, o criador desta obra, o escritor e desenhista brasileiro Mauricio de Sousa, se tornou uma referência mundial em educação infantil.

Continua depois da Publicidade

Papel importante na alfabetização

Em entrevista para o Podcast ONU News, ele disse que realiza parcerias com as Nações Unidas desde 2005, levando assuntos mundiais para famílias e crianças e contribuindo com a alfabetização.

“Recentemente, fui homenageado pela Unesco, ao final de 2022, pelo reconhecimento de que nossas revistas alfabetizam, estimulam milhões de crianças nesses mais de 60 anos de publicações. Essa é minha maior alegria.”

Desde 2005, os personagens criados por Mauricio de Sousa como Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali falam sobre os direitos das crianças de maneira divertida. Entre os temas estão o direito à educação, a inclusão das crianças com deficiência, o combate ao racismo e a importância da prática de esportes.

Em 2007, a Mônica foi nomeada embaixadora do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, no Brasil. Foi a primeira vez que um personagem de histórias em quadrinho obteve este título.

Mônica como ícone de liderança feminina

Mauricio de Sousa revelou que a personagem é 100% inspirada na sua filha, que tem o mesmo nome. O escritor afirmou que ela sempre teve essas características de autonomia, empoderamento e liderança que fazem a personagem uma inspiração para mulheres e meninas.

Foto: reprodução

“A Monica sempre, na escola, na casa, com as irmãs, ela foi líder. Ela falava como deveria ser uma coisa, como ela queria alguma coisa, como que ela queria um prato de comida e assim por diante. Eu não precisei inventar a Mônica, eu olhava e via já o personagem ao vivo.”

Mauricio destaca que uma das colaborações mais recentes com a ONU é o projeto “Donas da Rua”, onde são homenageadas grandes personalidades femininas.

A ideia é incentivar a liderança feminina e inspirar meninas e outras mulheres a buscarem seu espaço em áreas como artes, ciências, esportes e literatura, com a mensagem de que “toda menina pode ser o que quiser”. A iniciativa envolve a ONU Mulheres, a Organização Internacional do Trabalho e o Pacto Global.

Conscientização em saúde pública

Sobre a contribuição da Turma da Mônica na conscientização da população em temas de saúde pública, Mauricio de Sousa citou um exemplo, durante a pandemia de Covid-19 envolvendo o personagem Cascão, famoso por ter aversão à água.

“Tudo nasce dos personagens, por exemplo, nós temos o nosso personagem Cascão. Pelo nome dá para perceber que ele não gosta muito de água, de tomar banho. E na campanha que nós fizemos sobre os cuidados de higiene para evitar a Covid-19, como uso de máscara, lavar as mãos, o Cascão apareceu lavando as mãos, que foi uma coisa diferente de tudo. Como exemplo foi para as crianças um sucesso. Então os personagens participam com as características deles e com isso o leitor, principalmente a criançada, segue aqueles hábitos que eles estão vendo.”

Fórmula da criatividade

O autor brasileiro disse que seu processo criativo começou observando seus 10 filhos durante a convivência diária em casa. Além disso, algumas lembranças de amigos de infância também ajudaram o autor a criar os personagens Cebolinha e Cascão.

Ele mencionou ainda que começou a desenhar a partir das histórias que sua avó contava. Para aqueles que também querem produzir histórias, Mauricio de Sousa compartilhou sua principal fórmula para manter um nível de criatividade alto.

“viver a vida e lembrar do que você viu, do que você percebeu, das sensações que você teve, então realmente você não pode ficar parado em um lugar, não sentindo o que está acontecendo em volta de vc. Principalmente fique perto de crianças, olhando as crianças, o que elas fazem e falam me dá, e dá para qualquer pessoa inspiração sem problema nenhum.”

As histórias da Turma da Mônica estão presentes em cerca de 120 países e estão agora presentes também em animações e produções cinematográficas.

Breve Resumo

Turma da Mônica estreou em tiras de jornais em 1959 pelo cartunista Maurício de Sousa, mas em 1970 ganhou mais reputação através das revistas em quadrinhos. Contudo, existem muitos personagens principais e secundários nas aventuras da série Turma da Mônica, que se passa no bairro fictício de Limoeiro, tendo como protagonistas principais a Mônica, Cebolinha, Magali, Cascão e Chico Bento. Além disso, outras turmas também foram criadas e elas por acaso se relacionam com a turma principal. São elas portanto a Turma do Chico Bento, Turma do Astronauta, Turma do Penadinho, Turma da Tina, Turma do Horácio, Turma do Bidu, Turma do Piteco, Turma da Mata e Turma do Papa-Capim. No entanto, em relação como são chamados os personagens nos quadrinhos, todos sabem os nomes principais. Mas, o que a grande maioria não sabe são os nomes reais dos personagens, dessa que é uma das maiores séries de quadrinhos nacionais da história e que também se expandiu para o mundo.

Fonte: ONU News