Brasil

Amazonas

Ex-secretário de assistência social de Manacapuru é preso no PA por assédio e importunação sexual

Homem preso em Belém , quando ia participar de um evento religioso, é suspeito de utilizar cargo público para intimidar as vítimas, segundo investigação.


O ex-secretário de assistência social da cidade de Manacapuru (AM) foi preso em Belém nesta quarta-feira (21) por suspeita de assédio e importunação sexual praticado contra ex-funcionárias. As informações são do site g1.

Ele foi afastado do cargo na Prefeitura Municipal de Manacapuru, na última sexta-feira (16). O g1 não conseguiu contato com a defesa de investigado até a publicação desta reportagem.

Continua depois da Publicidade

Rosinaldo Cavalcante Moura, de 51 anos, estava em um hotel no bairro de São Brás, na capital paraense, quando foi surpreendido por uma ação da Polícia Civil do Amazonas com o apoio da Polícia Civil do Pará.

O suspeito estaria participando de um evento religioso na capital paraense quando os policiais foram acionados para encontra-lo e dar a voz de prisão.

De acordo com a delegada Roberta Merly, titular da unidade policial de Manacapuru, a 68 quilômetros de Manaus, as investigações iniciaram depois que uma das vítimas compareceu à delegacia para formalizar a denúncia contra o ex-secretário de assistência social.

“Além desta, outras vítimas, encorajadas a buscar ajuda, também vieram à delegacia para denunciar o indivíduo pelas mesmas práticas criminosas. Segundo elas, o procurado utilizava do cargo que ocupava para intimidá-las”, contou a delegada.

Ainda segundo a Polícia Civil do Amazonas, o homem seria preso quando voltasse a Manaus, sendo aguardado ainda no aeroporto pelos agentes. No entanto, foi repassado à polícia que ele permaneceria na capital paraense por mais tempo, e por isso, com apoio de policiais do Pará, ele foi preso em Belém.

Uma equipe da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Pará iniciou as buscas pelo homem, sendo concluída com a prisão preventiva. O homem deve responder por estupro e ficará à disposição do Poder Judiciário, aguardando recambiamento para o Amazonas.