Política

Em 3ª viagem à Europa neste ano, Lula desembarca em Roma

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, desembarcou na tarde desta terça-feira (20) em Roma, para sua terceira viagem à Europa desde que se reelegeu, no ano passado. Além de se reunir com a primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, sua agenda nos próximos três dias também prevê compromissos no Vaticano, onde o líder petista encontrará o papa Francisco, e na França, onde almoçará com o presidente francês, Emmanuel Macron.


Lula anunciou sua chegada na Itália nas redes sociais, lembrando que o país tem uma diferença de cinco horas em relação ao Brasil. Em uma foto divulgada no Twitter e no Instagram, ele aparece descendo do avião presidencial ao lado da primeira-dama Janja.

Nesta terça-feira, Lula se reúne com o sociólogo italiano Domenico de Masi, em Roma, autor do best seller “Ócio Criativo”. Os dois são amigos há muitos anos. Em 2019, De Masi visitou Lula na prisão da sede da Polícia Federal em Curitiba (PR). Na época, o sociólogo afirmou que mesmo detido, o líder petista era “o mais importante neste momento no mundo”.

Continua depois da Publicidade

Embora não estivesse previsto na agenda inicial do presidente, o Ministério das Relações Exteriores divulgou nesta terça-feira (20) que Lula se encontrará com a primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, na tarde de quarta-feira (21). Membro da extrema direita, a premiê integra o partido Irmãos da Itália, com raízes no fascismo. Apesar dos posicionamentos opostos, Meloni cumprimentou Lula pela reeleição no ano passado, afirmando que a Itália e o Brasil continuariam trabalhando juntos.

No mesmo dia, o líder petista se reunirá com o presidente italiano, Sergio Matarella, com quem conversará sobre projetos de cooperação na área de defesa e o acordo entre União Europeia e Mercosul, além do prefeito de Roma, Roberto Gualtieri.

Foto: reprodução

A audiência com o papa Francisco – um dos pontos altos da viagem – deve ocorrer também quarta-feira, no Vaticano. Segundo Lula, com o sumo pontífice serão abordados temas como fome, meio ambiente, Mercosul e a guerra na Ucrânia.

Discurso em Paris

Na quinta-feira (22), o presidente estará em Paris, onde participará da Cúpula para um Novo Pacto Financeiro Global, um evento com o objetivo de reformar a arquitetura financeira internacional para responder aos desafios das mudanças climáticas. No mesmo dia, ele discursará no show “Power Our Planet”, que será realizado no Campo de Marte, em frente à Torre Eiffel. O evento é promovido pela Global Citizen, uma organização que milita pelo fim da pobreza extrema. O convite para participar do espetáculo foi feito a Lula pelo músico Chris Martin, vocalista da banda Coldplay.

A noite, o líder petista participará de um jantar oferecido pelo presidente francês, Emmanuel Macron, aos líderes convidados para a Cúpula. Na sexta-feira (23), último dia da visita, Lula também deve discursar no evento.

Antes de voltar para o Brasil, o presidente brasileiro ainda almoçará com Macron. Segundo o presidente, a prioridade é conversar sobre o acordo UE-Mercosul. Um dos principais entraves ao compromisso é a questão climática.

“Eu quero discutir com Macron a questão do Parlamento francês que aprovou o endurecimento no acordo Mercosul-União Europeia, ou seja, a União Europeia não pode ameaçar o Mercosul de punir se o Mercosul não cumprir isso ou aquilo. Olha, se nós somos parceiros estratégicos, você não tem que fazer ameaças, você tem que ajudar”, disse Lula à TV Brasil.

Desde o início de seu terceiro mandato, em janeiro, o líder petista, de 77 anos, já veio duas vezes à Europa. No total, o presidente participou de 33 encontros com líderes estrangeiros, um a mais que seu antecessor, Bolsonaro, nos quatro anos de governo.

(Com informações da RFI)