Internacional

França

Menina de 7 anos morre em naufrágio de barco que tentava atravessar Canal da Mancha

Uma menina de sete anos morreu afogada na manhã deste domingo (3) em Watten, no norte da França, depois que um barco que transportava imigrantes afundou no canal de Aa, que desemboca no Mar do Norte, anunciou a prefeitura do departamento francês. O escritório da promotora pública de Dunquerque confirmou que uma investigação foi aberta, incluindo uma acusação de "homicídio culposo".


Um total de 16 migrantes, incluindo 10 crianças com idades entre 7 e 13 anos, estavam a bordo de um pequeno barco quando ele virou no canal de Aa na manhã deste domingo (3), a cerca de 30 quilômetros da costa, pouco depois de terem embarcado. “O barco, que provavelmente foi roubado, não foi projetado para transportar tantas pessoas”, disse a prefeitura.

O fato do barco ter afundado tão longe do litoral pode ser explicado pelo fato de que os migrantes agora estão partindo mais para o interior, a fim de evitar a vigilância, e visando chegar às praias sem serem vistos.

Continua depois da Publicidade

Alertados por um andarilho, os bombeiros e a polícia chegaram rapidamente ao local. Mas “uma menina de 7 anos morreu no local, pois as tentativas dos serviços de emergência de ressuscitá-la não tiveram sucesso”, de acordo com o escritório da promotora pública de Dunquerque, no norte da França.

Pelo menos três pessoas morreram tentando atravessar o Canal da Mancha desde o início do ano. Na foto, um bote vazio, do tipo usado por migrantes, flutuando perto da praia em Gravelines após uma tentativa fracassada de atravessar o Canal da Mancha para a Grã-Bretanha, em 16 de setembro de 2023, tirada de um avião da Police Aux Frontières (PAF) – Foto: Sameer Al-Doumy/AFP

Família foi conduzida ao hospital

Os outros passageiros não sofreram ferimentos físicos. Entre eles, a família da garota, incluindo sua mãe grávida e três irmãos, foi levada ao hospital.

“Várias pessoas estão sendo mantidas sob custódia policial”, disse a promotora pública. Ela abriu uma investigação sobre “homicídio culposo e lesão não intencional”, “conspiração criminosa” e “auxílio à entrada ilegal e residência com apoio de uma organização, com perigo para os outros”.

Essa é a terceira vez desde o início do ano que tentativas de travessia para o Reino Unido resultam em mortes.

Na quarta-feira, 28 de fevereiro, um turco de 22 anos morreu na costa de Calais (também ao norte) e dois outros migrantes foram dados como desaparecidos. Doze migrantes perderam suas vidas em 2023 tentando atravessar o Canal da Mancha, de acordo com a Préfecture maritime de la Manche et de la Mer du Nord.

(Com RFI e AFP)