Internacional

Canadá

Incêndios florestais no Canadá queimam mais de 10 milhões de hectares este ano

Os incêndios florestais canadenses queimaram mais de 10 milhões de hectares (24,7 milhões de acres) este ano, um número recorde que superou as previsões mais pessimistas dos cientistas, mostraram dados do governo no sábado.


O recorde anterior ocorreu em 1989, quando 7,3 milhões de hectares foram queimados ao longo de um ano inteiro, de acordo com dados nacionais do Canadian Interagency Forest Fire Centre (CIFFC). 

A área ardida este ano, em apenas seis meses e meio, equivale aproximadamente ao tamanho de Portugal ou da Islândia. 

Continua depois da Publicidade

No total, 4.088 incêndios ocorreram desde janeiro, incluindo muitos incêndios que queimaram centenas de milhares de hectares. 

Colúmbia Britânica registrou mais de mil incêndios desde abril – BC Wildfire Service/Anadolu Agency via Getty Images

Mais de 150.000 pessoas foram deslocadas e um bombeiro de 19 anos morreu na quinta-feira.

“Estamos lidando com áreas imensas”, disse à AFP o coronel Philippe Sansa, que chefia um destacamento de bombeiros franceses destacados no norte do Quebec“O incêndio que estamos controlando tem 65 quilômetros (40 milhas) de extensão, o que representa enormes desafios organizacionais.”

Sansa disse que sua equipe, na França, seria capaz de enviar muito mais bombeiros e helicópteros para um incêndio 100 vezes menor. A maioria dos incêndios ocorreu longe de áreas habitadas – mas ainda tem sérias consequências para o meio ambiente. “Estamos neste ano com números piores do que nossos cenários mais pessimistas”, disse à AFP Yan Boulanger, pesquisador do Ministério de Recursos Naturais do Canadá. “O que é completamente louco é que não houve trégua desde o início de maio”, disse ele.

Até este sábado, havia 906 incêndios ativos no país, incluindo 570 considerados fora de controle – sem nenhuma província poupada.

A terrível situação mudou em todo o país nos últimos meses: em maio, no início da temporada de incêndios florestais, Alberta, no oeste, foi o centro das atenções, com incêndios sem precedentes.

Várias semanas depois, Nova Escócia, uma província atlântica com clima ameno, assumiu o comando, seguida por Quebec, onde grandes incêndios criaram nuvens de fumaça que cobriram até partes dos Estados Unidos.

Desde o início de julho, a situação mudou drasticamente na Colúmbia Britânica, com mais de 250 incêndios iniciados em apenas três dias na semana passada, a maioria desencadeada por raios.

Grande parte do Canadá está sofrendo com uma seca severa, com meses de chuvas abaixo da média e temperaturas quentes.

O país está a aquecer mais rapidamente do que o resto do planeta devido à sua geografia, e tem sido confrontado com eventos climáticos extremos cuja intensidade e frequência aumentaram devido às alterações climáticas , dizem os cientistas. 

O vasto anel verde de florestas nas regiões do norte do planeta – incluindo o Canadá – é vital para a saúde da Terra.

E, dada a densidade da vegetação rasteira, os incêndios florestais no norte podem liberar muito mais carbono por área queimada do que alguns outros ecossistemas – contribuindo assim ainda mais para o aquecimento do planeta, em um círculo vicioso.

Com informações da AFP