Internacional

Canadá

Incêndios florestais atingem os Territórios do Noroeste do Canadá

A maior evacuação da história do Norte. Milhares de pessoas fogem dos incêndios florestais que avançavam em uma das maiores cidades do extremo norte do Canadá, comboios avançam para o sul em busca de segurança na única rodovia aberta, enquanto voos de evacuação decolam do aeroporto.


A ordem para evacuar Yellowknife nos Territórios do Noroeste marca o capítulo mais recente de um verão terrível para os incêndios florestais no Canadá . Mais de 20.000 residentes da capital regional tem até o meio-dia desta sexta-feira (18) para fugir.

Os socorristas estavam construindo aceiros, instalando aspersores e canhões de água e colocando retardadores de fogo em um esforço para evitar que o incêndio chegasse à cidade – o que continua sendo uma possibilidade real nos próximos dias, disseram as autoridades.

Continua depois da Publicidade

Os ventos do noroeste nos próximos dois dias enviarão o fogo “em direções que não queremos”, disse Mike Westwick, oficial de informações sobre incêndios dos Territórios do Noroeste.

Atendendo à ordem de evacuação de quarta-feira, Tiffany Champagne foi uma das muitas que se amontoaram no aeroporto de Yellowknife aguardando voos – o primeiro partiu às 13h (19h GMT).

Foto: reprodução

“Eu tenho asma e a fumaça do incêndio tornava cada vez mais difícil fazer qualquer coisa”, disse Champagne, usando uma máscara facial, à emissora pública CBC.

As transportadoras WestJet e Air Canada anunciaram que estavam aumentando os voos para fora da cidade.

Na quinta-feira, mais de 1.000 incêndios florestais estavam ocorrendo no Canadá, incluindo cerca de 230 nos Territórios do Noroeste, onde mais de 8.100 milhas quadradas (21.000 quilômetros quadrados) foram incendiados.

Na Colúmbia Britânica , no oeste do Canadá, foi emitida uma ordem de evacuação para a cidade de West Kelowna, que estava sob a ameaça de um incêndio diferente.

Além dos que viajavam de carro, cerca de 5.000 foram evacuados em voos de emergência até a noite de quinta-feira.

A prefeita de Yellowknife, Rebecca Alty, alertou os motoristas sendo conduzidos em comboios de quilômetros de extensão que as chamas estavam contornando as margens das rodovias e eles encontrariam visibilidade limitada quando a fumaça espessa tornasse o céu laranja.

A maior evacuação da história do Norte 

As equipes se esforçaram para erguer barreiras de fogo quando um incêndio chegou a 16 quilômetros (9 milhas) de Yellowknife. Bombardeiros de água foram vistos voando baixo sobre a cidade e mergulhando para encher um lago próximo.

A moradora Sylvia Webster disse que “muitas árvores foram cortadas e linhas de irrigação foram instaladas ao redor da cidade” para reforçar suas defesas.

“Ainda podemos perder tudo, mas tudo bem”, disse ela à AFP. “Enquanto nossos entes queridos estiverem seguros, podemos seguir em frente.”

O primeiro-ministro Justin Trudeau interrompeu suas férias de verão na quinta-feira para convocar um grupo de resposta a incidentes.

Várias aeronaves militares já foram enviadas, juntamente com mais de 120 soldados para ajudar a conter as chamas.

No que já havia sido declarado a maior evacuação dos Territórios do Noroeste , o esvaziamento de Yellowknife agora significa que metade da população do território próximo ao Ártico será deslocada em breve.

Várias cidades e comunidades indígenas já receberam ordens de evacuação.

Na segunda-feira, os militares canadenses começaram a transportar residentes de comunidades menores e distantes da região para um local seguro depois que as estradas foram engolfadas pelas chamas.

Para muitos, foi a segunda vez nos últimos meses que os moradores foram forçados a evacuar.

Imagens compartilhadas nas redes sociais e na televisão canadense mostraram grandes extensões de florestas enegrecidas. Os evacuados relataram ter visto veículos abandonados e carcaças queimadas de animais selvagens, incluindo ursos, nas estradas.

Carros e caminhões chegaram a centros de evacuação em Alberta – a pelo menos 1.150 quilômetros de distância – com faróis derretidos e pintura descascada.

‘Refugiados das mudanças climáticas’ 

Nadia Byrne, 24, considerou voltar, mas temeu que ela pudesse ficar sem gasolina e ficar presa.

“Eu realmente não sei para onde ir… Todo mundo está meio que lutando agora”, disse ela à AFP.

A evacuada Julie Downes, contatada por telefone, descreveu grandes nuvens de fumaça ao longo de uma “rodovia engarrafada”.

“É assustador dizer, mas eu e outros nortistas agora somos refugiados da mudança climática “, disse ela.

Os cientistas dizem que o aquecimento global causado pelo homem está exacerbando os riscos naturais, tornando-os mais frequentes e mais mortais.

A evacuação de Yellowknife é a segunda vez que uma cidade canadense considerável é limpa devido a incêndios florestais desde que 100.000 residentes de Fort McMurray, no coração da produção de petróleo e gás de Alberta, foram expulsos em 2016.

No início deste ano, os subúrbios de Halifax, na costa atlântica, também foram evacuados.

Os incêndios nesta temporada se espalharam pelo Canadá com intensidade notável, queimando 13,7 milhões de hectares (33,9 milhões de acres), de acordo com o Canadian Interagency Forest Fire Centre. Quatro pessoas morreram até agora.

(Com informações da AFP)