AnúncioAnúncio

Eleições 2024

Europa

Eleições na França: Um governo de extrema-direita ou um parlamento em gestão?

Começou a votação em França para de segundo turno das eleições, que poderá dar uma vitória histórica à extrema-direita, ou resultar num parlamento suspenso que ficará num impasse político, pelo menos, dois anos.


A França poderá ter o seu primeiro governo de extrema-direita desde a ocupação nazista na Segunda Guerra Mundial, se o Rassemblement Nacional (RN), de Marine Le Pen, obtiver a maioria absoluta e o seu líder Jordan Bardella, de 28 anos, se tornar primeiro-ministro.

No primeiro turno das eleições, que aconteceu em 30 de junho, nenhum partido ultrapassou o limiar de 289 lugares para uma vitória absoluta. O RN obteve 33,1% dos votos.

Continua depois da Publicidade

A coligação “Ensemble” (Juntos) de Macron alcançou uma fração de 21% dos votos e os partidos de esquerda tiveram um desempenho relativamente forte.

A Nova Frente Popular, uma aliança entre o Partido Socialista, os Verdes e a França sem Arco de Jean-Luc Mélenchon, formada após a convocação das eleições, obteve 28% – uma ligeira melhoria em relação aos 25,7% que a NUPES, a coligação equivalente, alcançou em 2022.

Os eleitores franceses votam nas eleições legislativas antecipadas, que poderão instituir o primeiro governo de extrema-direita do país – Foto: Jean-Francois Badias

Políticos alvo de atos de violência

Nova Caledónia: Emmanuel Tjibaou eleito deputado