Política

Amazonas

Câmara de Borba abre processo de cassação do prefeito Simão Peixoto

O mandatário está preso desde o dia 29 de maio deste ano e foi afastado do cargo.


Foi instaurado nesta segunda-feira (19) na Câmara Municipal de Borba, uma Comissão Processante para avaliar a cassação do prefeito afastado do município Simão Peixoto por acusações de quebra de decoro. A medida foi tomada após denúncias formuladas por cidadãos baseadas em supostos atos e comportamentos inadequados do prefeito do município em exercício de suas funções.

A vereadora Enfermeira Tatiana Franco foi escolhida, por sorteio, para presidir a comissão processante que vai apurar se houve envolvimento do prefeito em esquema de desvio de recursos públicos.

Continua depois da Publicidade

Peixoto está preso desde o dia 29 de maio deste ano e foi afastado do cargo após se considerado foragido e depois se entregar a polícia. Simão recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), no último domingo (4), em busca de um novo pedido de habeas corpus após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) ter negado liberdade a ele na última quinta-feira (1º).

Peixoto é suspeito de comandar um esquema de corrupção no município e foi alvo de operação do Ministério Público do Amazonas. Após ser considerado foragido, Simão se entregou à polícia na última segunda-feira (29/05) na sede do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (DRCO).

Caso a Câmara Municipal aprove a cassação do prefeito Simão Peixoto, ele perderá o cargo imediatamente, e novas eleições poderão ser convocadas para preencher a vaga deixada. No entanto, é importante ressaltar que o processo de cassação ainda está em curso, e o prefeito terá o direito de se defender e apresentar sua versão dos fatos perante a Comissão Processante e a Câmara Municipal.

Com informações do AM Post