Sem Categoria

Manaus

Sabá Reis também ganha “afago do prefeito” com pintura de seus cachorros em muro de parque em Manaus

As homenagens aos animais de estimação da noiva do prefeito e agora, do secretário, tem gerado críticas.


A homenagem aos animais de estimação dos membros do governo municipal de Manaus está gerando controvérsias e levantando questionamentos sobre a impessoalidade dos gestores. Além do cachorro de Izabelle Fontenele, noiva do prefeito David Almeida, também foram homenageados os cachorros da esposa do secretário municipal de limpeza pública, Sabá Reis, através de pinturas em uma área destinada a pets no Parque Alexandra, no bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste da cidade.

Continua depois da Publicidade
Foto: reproduçãoA homenagem aos animais de estimação dos membros do governo municipal de Manaus está gerando controvérsias e levantando questionamentos sobre a impessoalidade dos gestores. Além do cachorro de Izabelle Fontenele, noiva do prefeito David Almeida, também foram homenageados os cachorros da esposa do secretário municipal de limpeza pública, Sabá Reis, através de pinturas em uma área destinada a pets no Parque Alexandra, no bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste da cidade.

Uma obra de arte foi feita no muro da área pet do parque, retratando o casal de cachorros da raça shih-tzu chamados “Ballack” e “Zara”. Além disso, também foi pintada uma imagem do cachorro “Tony”, que pertence à estudante de medicina Izabelle Fontenele, noiva do prefeito David Almeida.

Vale lembrar que o cachorro de estimação da noiva de David Almeida também recebeu uma homenagem em uma área destinada a “pets” no Parque Alexandra. A pintura de Tony, o animal da estudante de medicina Izabelle Fontenele, repercutiu negativamente.

Impessoalidade

Tais pinturas têm gerado polêmicas e levantado questionamentos sobre a impessoalidade dos membros do governo. Isso porque o Art. 37 da Constituição Federal determina que a atuação administrativa deve ser impessoal e genérica, visando atender aos interesses coletivos de forma imparcial e desvinculada de preferências pessoais dos servidores da administração.

A polêmica também envolve os gastos públicos, uma vez que é necessário o uso de recursos financeiros para realizar essas pinturas. Os críticos argumentam que tais recursos poderiam ser direcionados para investimentos em áreas mais prioritárias, como saúde, educação e infraestrutura. Além disso, a utilização de espaços públicos para fins pessoais também tem gerado questionamentos sobre a aplicação adequada dos recursos e o cumprimento da finalidade desses espaços.

Com informações do Portal AM POST